Sopa de lentinha, para ser degustada na hora da virada, simboliza sorte e saúde.

Tchau ano velho, seja bem vindo ano novo. Bom parece fácil falar assim, mais no momento da virada, tem cada simpatia e ritual maluco para fazer. A superstição melhor com certeza é saborear algo para ter sucesso, saúde e paz no ano que vêem. Comida sempre foi algo que o brasileiro leva a sério no momento do réveillon.

Mais a culinária a seguir traz bons pensamentos e desejos de prosperidade embutida no cardápio da virada. As famílias italianas fazem uma suculenta sopa de lentilha para ter dinheiro no bolso. Já os japoneses e libaneses, precisam ter arroz na mesa simbolizando a fatura. No Japão o arroz entra na receita do moti, bolinho que são ofertados aos antepassados em altares, e trazem sorte e proteção para o ano inteiro.

Os portugueses necessitam comer uma fatia de bolo de Reis. Receita que leva frutas cristalizadas, cereja, nozes, figo, pêssego e um ingrediente especial: um brinde coloca-se na massa do bolo ainda crua  (geralmente uma aliança, sinal de sorte e fortuna) e mais uma prenda. O afortunado que for contemplado em sua porção com a fava é obrigado a presentear alguém com um bolo no ano seguinte, enquanto quem pega a fatia com a prenda garante sorte durante o ano.

Ja as carnes, porco e leitão, sõ associados à fatura (gordura) e prosperidade, por serem animais que andam para frente. Ja as aves são renegadas no cardápio festivo por ciscarem para trás. Ja a romã e a uva, estão ligados a desejos de prosperidade e sorte. Tem gente que come uva em jejum do dia 1º de pronto, ja tem alguns que comem três, sete ou doze uvas e depois guarda as sementes na carteira. Româ é mais comida no dia de Reis. Folhilhas de louro também entram no cardápio mais não são desgustadas. O ritual típico inclui a troca de folhinhas entre as pessoas a meia-noite, que são guardadas na carteira. Simboliza dinheiro, que nunca falte o ano todo.